Quem somos...

Sakura Centro de Terapias Para poder realizar a sua Vida, na plenitude das suas capacidades, o Ser Humano tem o direito e o dever de se cuidar e de se preservar. Para tal, os cuidados preventivos, de tratamento e manutenção, com a Saúde, revestem-se de especial atenção. Sakura surge com o intuito de lhe oferecer um vasto leque de opções terapeuticas- bem estar, prevenção e tratamento

31 de dezembro de 2011

DE MALAS PRONTAS (A VIAGEM)





Tenho e sempre tive a convicção de que esta vida aqui é uma estação de uma longa viagem de origem e destino desconhecidos.
Mas todas as vidas, a minha, a sua, a de todos, passam pelo mesmo caminho que leva ao crescimento humano e espiritual.
Tem quem queira prosseguir a viagem.
Tem quem queira passar voando pela estrada.
Tem quem queira interrompê-la abruptamente.
Tem quem passe alheio a tudo, até mesmo à vida.
Esse aí não vive na verdade ... passa o tempo inteiro da viagem sentado à beira do caminho.
Sem aprender, sem progredir ... sem crescer.
Não viaja, nem vive ... só sobrevive.
Para alguns, a viagem é curta ... nem chega a desembarcar, embarca de volta.
Para outros a viagem é looooonga!
Há quem leve na bagagem experiências ruins e aprenda com elas.
Noutras bagagens as experiências ruins se transformam em peso ... pesam muito, viram mágoa e se transformam em doença.
Na minha bagagem, as experiências ruins transformo em aprendizado.
Isso as tornam leves.
Na minha estrada observo cada pedrinha do caminho.
O sol, a chuva, as folhas, as plantas, animais.
Sou feliz por viver, por respirar, andar, enxergar, poder falar, ter corpo perfeito, cérebro que funciona, mente que trabalha.
Observo especialmente o ser humano e suas diversas vestes.
Não as do corpo ... porque são irrelevantes.
Mas as da alma.
A veste da cultura pode encobrir uma personalidade bronca, rude, vazia, egoísta.
O ouro, a riqueza ... podem encobrir a pobreza extrema do espírito.
Em contrapartida a veste da simplicidade pode encobrir um espírito de um estado de nobreza irretocável, sutil, de uma elevação indescritível.
Fim de ano é tempo de repensar.
Reavaliar o que foi feito durante um ano inteiro e sobre o que se pretende mudar.

Ano Novo é hora de novos sonhos, novas auto-propostas.
Não adianta sonhar, ter um reveillon maravilhoso, se não houver um reveillon íntimo.
Roupas não vão vestir nem o meu, nem o seu futuro.
Não importa se vou passar de branco, de prata, numa festa em família, vendo a queima de fogos ... com champagne, num lugar chiquérrimo, na montanha à beira da praia, ou num barracãozinho.
Nem o cenário, nem o figurino são essenciais ... são meros detalhes.
Não importa se vou virar o ano dormindo. Só não posso dormir por mais um ano.
Fechar os olhos aos meus objetivos, às minhas metas, ao meu melhoramento.
Se eu fizer isso não será um ano novo.
Não será nada além de ``mais um novo ano velho´´.
Fecho o ano agradecendo.
Agradecendo a chance de existir, de respirar, andar, enxergar.
Ter tido o privilégio de ser trazida à terra pelos meus anjos: pai e mãe.
Ter uma família especial, ter tido uma infância de sonhos e oportunidade de aprendizado de vida, de valor imensurável.
Oportunidade de ter saúde bastante para dar vida a outra vida.
Oportunidade de trabalho, sob todos os ângulos.
Pela oportunidade da queda que ensina a levantar ... pela oportunidade dos enganos, para aprimorar escolhas.
Pela tentativa constante e incansável de manter mãos e coração limpos.
Pela presença de pessoas que me amam e a quem amo também.
E o presente de amigos ``presentes´´, os mais distantes, os de sempre e os que chegaram de surpresa.
Estou pronta para me revisar ... me reavaliar.
Estou de malas prontas.
Faça as malas você também ... deixe para trás o que você não conseguiu melhorar.
Melhore-se, melhore a vida de quem puder ... melhore o seu jeito de olhar e agir com o outro, com o mundo.


SIGA EM FRENTE E BOA VIAGEM.


Autor: Magaly Reinaldo

e eu subrescrevo.... Boa viagem!!!

13 de dezembro de 2011

Carga desnecessária....




“Se é verdade que a cada dia basta sua carga, por que então teimamos em carregar para o dia seguinte nossas mágoas e dores?

Há ainda os que carregam para a semana seguinte, o mês seguinte e anos afora…

Nos apegamos ao sofrimento, ao ressentimento, como nos apegamos a essas coisinhas que guardamos nas nossas gavetas, sabendo inúteis, mas sem coragem para jogar fora.

Vivemos com o lixo da existência, quando tudo seria mais claro e límpido com o coração renovado.



As marcas e cicatrizes ficam para nos lembrar da vida, do que fomos, do que fizemos e do que devemos evitar. Não inventaram ainda uma cirurgia plástica da alma, onde podem tirar todas as nossas vivências e nos deixar como novos.



Ainda bem…

Não devemos nos esquecer do nosso passado, de onde viemos, do que fizemos, dos caminhos que percorremos.

Não podemos nos esquecer de nossas vitórias, nossas quedas e nossas lutas. Menos ainda das pessoas que encontramos, essas que direcionaram nossas vidas, muitas vezes sem saber.

O que não podemos é carregar dia-a-dia, com teimosia, o ódio, o rancor, as mágoas, o sentimento de derrota e o ressentimento.

Acredite ou não, mas perdoar a quem nos feriu dói mais na pessoa do que o ódio que podemos sentir durante toda uma vida.

As mágoas envelhecidas transparecem no nosso rosto e nos nossos atos e moldam nossa existência.

Precisamos, com muita coragem e ousadia, abrir a gaveta do nosso coração e dizer: eu não preciso mais disso, isso aqui não me traz nenhum benefício.

E quando só ficarem a lembrança das alegrias, do bem que nos fizeram, das rosas secas, mas carregadas de amor, mais espaço haverá para novas experiências, novos encontros. Seremos mais leves, mais fáceis de ser carregados, mesmo por aqueles que já nos amam.

Não é a expressão do rosto que mostra o que vai ao coração?

De coração aberto e limpo nos tornamos mais bonitos e atraentes e as coisas boas começam a acontecer.

Luz atrai, beleza atrai.

Tente a experiência!!!

Sua vida é única e você é único.

Sua vida merece que, a cada dia, você dê uma chance para que ela seja plena e feliz!

9 de dezembro de 2011

Um Pedido de Natal

Um Pedido de Natal


Que o homem não precise tanto de alguém para lhe escutar,
de colo para estar ou de um ombro amigo para chorar.

Que descubra que está na terra para andar. Não se arrastar, nem voar. Simplesmente e calmamente caminhar.
Que consiga, mesmo devagar, em pequenos passos avançar.

Que não encontre mais motivos para guerrear.
Guerra é uma palavra feia: um palavrão que dói até ao pronunciar.
Que descubra: perdoar é retirar pedras do próprio caminho e é dever de cada um cuidar de seu ninho.

Que cada um construa sua própria Paz, que também é a Paz para o próximo.
A Santa Paz, que é a soma de pequenos detalhes,
pequenos acertos e pequenos perdões. A Paz se constrói com pequeninos tijolos. A Paz se constrói e cresce em nossos corações e é o resultado de nossas acções. A Paz torna o homem mais bonito, radiante.
Um espírito em Paz é belo. Um lar em Paz é um castelo.

Que não haja tantas feridas para desinfectar nem lágrimas para enxugar.
Que haja menos bocas para alimentar.
Que, se houver, que se tenha alimentos a sobrar.
Menos teto para edificar. Menos crianças a educar, menos adolescentes para guiar.

Que não se tenha a intenção de, alguma coisa, do outro tirar.
Que, no exercício, de na vida repensar, aproxime-se do amar.
Que sempre haja o querer de reaprender a caminhar para o melhorar e o melhorar.

Que poucos precisem pedir e poucos precisem doar (ou se doar).
Que o homem não sinta tanta solidão, depressão ou rejeição.
Que, mesmo estando pouco o seu quinhão, haja sempre confraternização e divisão.
Que o mundo tenha menos pressa: as tartarugas conhecem o caminho melhor que os coelhos.
Menos lágrimas (elas são salgadas em qualquer parte do mundo).

Que o bom senso prevaleça ao que o homem julga ser sua razão.
Que o perdão perdoe mais, que a compreensão compreenda mais e que o respeito respeite mais, para que o amor esteja amando cada vez… mais.

Que as crianças cresçam agradecidas aos homens pelos bons exemplos recebidos.
Se continuar a inércia, a próxima geração está sujeita a ser pior ou igual a esta.
Menos proibição, mais instrução.

Se o caminho escurecer, que o homem possa, mesmo na escuridão, um raio da Luz perceber… e dessa clareza não mais esquecer.
Ao invés de ver para crer, crer para ver… e crer para ser.

Que o homem transforme os degraus do Conhecimento em degraus da Sabedoria.
Que se torne menos inseguro e cada vez mais, puro.

Saúde em todos os sentidos.

Que a confiança entre os homens gere a segurança na confiança íntima de cada um.
Que descubra sempre, a hora certa de parar e o momento exacto de continuar.
Que, cada vez mais, o homem se torne menos carente, menos dependente e… menos exigente.
Que o homem seja mais paciente.
Que haja mais Conhecimento para haver mais Sabedoria e mais Sabedoria para buscar novos Conhecimentos, para que se gere mais Sabedoria. E mais, mais e mais…

Que, sendo o homem um Ser, descubra que o objetivo desta vida é mais Ser e menos Ter.

Que o homem, a cada dia, seja mais humano.
Que todos queiram estar sob a Luz para que sejam na Luz.
Que lembremos: embora sejamos filhos da mesma dor, somos todos amados pelo mesmo amor e guardados pelo mesmo Homem.
E relembremos: A União é Tudo. A União é a força.
Unir é progredir.
Unir é o acto de juntar-se ao outro, tornar-se um

Que o mundo venha se transformando a cada dia
e que todos estejamos entre os colaboradores
dessa transformação, juntos, em União e na União…

****************************************
********

Feliz Natal para todos...hoje, amanhã e sempre!
Tânia

Quisera...

Quisera, Senhor neste Natal, armar uma árvore
dentro de meu coração e nela
pendurar, em vez
de presentes, o nome de
todos os meus amigos.


Os amigos de longe e de perto,
os antigos e recentes,
os que vejo todos os dias
e os que raramente encontro.
Os sempre lembrados e os que, às
vezes, ficam esquecidos.
Os constantes e os intermitentes,
os das horas difíceis e os
das horas alegres.


Os que, sem querer, eu magoei ou, sem
querer me magoaram.
Aqueles a quem conheço profundamente
e aqueles que me são conhecidas só
as aparências.
Os que pouco me devem e aqueles
a quem devo muito.
Meus amigos jovens,
meus amigos velhinhos.
Meus amigos homens feitos e as crianças,
minhas amiguinhas.
Meus amigos humildes e meus amigos importantes.
Os nomes de todos que já passaram por minha vida.
Os que me estimam e admiram sem eu saber e
os que amo e estimo sem lhes dar a entender.

Quisera, Senhor, neste Natal armar uma árvore
de raízes muito profundas para que seus
nomes nunca mais sejam arrancados de minha vida.
Uma árvore de ramos muito extensos para que os
novos nomes, vindos de todas as partes, venham
juntar-se aos já existentes.
Uma árvore de sombra muito agradável
para que nossa amizade,
seja um momento de repouso no meio das lutas da vida.


Autor desconhecido

6 de dezembro de 2011

Natal dos Pequenitos!

19 e 23 Dezembro- Segunda e Sexta-feira

Aberto para Obras! - Estamos em construção!

Vamos construir a nossa árvore e claro fazer os enfeites...Sem esqucer o presépio!  Tudo com materiais reciclados

10h00 às 13h00 (4 aos 6)
14h30 às 17h30 (7 aos 11)
Local:  Sakura- Isasad- R.Nova S.Crispim, 516-loja 9
Duração: 6 horas (2 sessões)
Preço: 25€ criança
Lotação: mín.4 – máx. 10 crianças
Requer marcação prévia



20 e 22 Dezembro- Terça e Quinta-feira


Uma mensagem de esperança!


Porque temos algo a dizer aos grandes, aos outros meninos e ao mundo inteiro!! Um cartão de natal, uma mensagem e uma música de esperança!


10h00 às 13h00 
Local:  Sakura- Isasad- R.Nova S.Crispim, 516-loja 9
Duração: 6 horas (2 sessões)
Preço: 25€ criança
Lotação: mín.4 – máx. 10 crianças
Requer marcação prévia




21 Dezembro- Quarta-feira


NATAL - Histórias do Mundo


Conheces histórias de Natal? Sabias que nem todos os países, nem todas as culturas têm festas de Natal?Mas têm outras igualmente importantes. É curioso que todas reúnem a família, que comem coisas dierentes, que em todas se formulam desejos para nós e para os outros… 
São dias para pensar, para sentir, para festejar a vida. Aprender estas histórias é conhecer um pouco melhor o mundo.

10h00 às 13h00 e das 14h30 às 17h00.
Local: Sakura- Isasad- R.Nova S.Crispim, 516-loja 9
Preço: 35 € com almoço
Lotação: mín. 4 – máx. 10 crianças
Requer marcação prévia


917433609- sakura.centroterapias@gmail.com

Local: ISASAD- R.Nova S.Crispim, 516-loja 9 -Porto



25 de novembro de 2011

Tempo de Viver coisas novas


Hoje levantei-me cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia-noite.

É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.

Posso reclamar porque está a chover ou agradecer às águas por lavarem a poluição.

Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.

Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.

Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter um trabalho.

Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus pela oportunidade da experiência.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.

Se as coisas não saíram como planeei, posso gastar os minutos a me lamentar ou ficar feliz por ter o dia de hoje para recomeçar.

O dia está na minha frente esperando para ser vivido da maneira que eu quiser.

E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma às ideias e utilidade às horas. Tudo depende só de mim.

Nesta mensagem atribuída ao saudoso Charlie Chaplin, que encantou o mundo no tempo do cinema mudo, encontramos motivos de reflexões.

Sem dúvida, a vida é feita de escolhas...

O tempo todo fazemos escolhas, elegendo o que fazer e o que não fazer, o que pensar e o que não pensar, em que acreditar e em que não acreditar.

A vida apresenta-nos semre opções. E as escolhas dependem exclusivamente de nós mesmos.

Não há constrangimento algum. Somos senhores absolutos da nossa vontade, no que diz respeito às questões morais.

Se é verdade que às vezes somos arrastados pelas circunstâncias, é porque optamos anteriormente por entrar nesse contexto.

Assim, antes de optar por qualquer das opções que a vida nos oferece, é importante pensar nas consequências que virão em seguida.

Importante lembrar que não estamos no mundo em regime de excepção. Todos estamos na Terra para aprender. E as lições muitas vezes são mais simples do que pensamos.

Não imaginemos que as coisas e circunstâncias desagradáveis só acontecem para nos atingir. Elas fazem parte do contexto em que nos movimentamos junto a milhares de pessoas que vivem na Terra connosco.

* * *

Olhe, em seu jardim, as flores que se abrem e nunca as pétalas caídas.

Contemple, em sua noite, o fulgor das estrelas e nunca o chão escuro.

Observe, em seu caminho, a distância já percorrida e nunca a que ainda falta vencer.

Retenha, em sua memória, risos e canções e nunca os seus gemidos.

Conserve, em seu rosto, as linhas do sorriso e nunca os sinais da mágoa.

Guarde, em seus lábios, as mensagens bondosas e esqueça as maldições.

Conte e mostre as medalhas de suas vitórias e encare as derrotas como uma experiência que não deu certo.

Lembre-se dos momentos alegres de sua vida e não das tristezas.

A flor que desabrocha é bem mais importante do que mil pétalas caídas.

E um só olhar de amor pode levar consigo calor para aquecer muitos invernos.

Seja otimista e não se esqueça de que é nas noites sem luar que brilham mais forte nossas estrelas.



Redação do Momento Espírita, com base em texto
atribuído a Charlie Chaplin e em mensagem
de autoria desconhecida.

23 de novembro de 2011



Ser livre...


"Rir é correr risco de parecer tolo.
Chorar é correr o risco de parecer sentimental. 
Estender a mão é correr o risco de se envolver. 
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu. 
Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas. 
Amar é correr o risco de não ser correspondido. 
Viver é correr o risco de morrer. 
Confiar é correr o risco de se decepcionar. 
Tentar é correr o risco de fracassar. 
Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada. 
Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada. 
Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem. 
Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade. 
Somente a pessoa que corre riscos é livre!"


- Seneca (orador romano)

17 de novembro de 2011


Ano Novo…
Onde estivemos e para onde vamos  
26 Novembro
15H – 17H30


Vamos reflectir sobre o ano que passou , analisar como foi a nossa vida e como vivemos.

Quando reflectimos ganhamos perspectiva - perspectiva que nos pode indicar qual o comportamento e escolhas que devemos fazer/ter no ano novo. Isso nos fará mais conscientes, em cada situação, de quais acções podem ser coerentes com o sentido da nossa vida e quais destoam completamente

DestinatáriosTodos os que procurem analisar e reflectir sobre a sua vida, encontrar soluções, especificar objectivos de vida e criar um plano de acção e as relações com os outros.

Sakura Porto  -  26 Novembro



Contribuição:  15€
Informações/Inscrições:

15 de novembro de 2011

A quem pertence o presente?

Perto de Tóquio vivia um grande samurai, já idoso, que agora se dedicava a ensinar o zen aos jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação: esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante. O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta. Conhecendo a reputação do samurai, estava ali para derrotá-lo, e aumentar sua fama. Todos os estudantes se manifestaram contra a idéia, mas o velho aceitou o desafio. Foram todos para a praça da cidade, e o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos conhecidos, ofendendo inclusive seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.

Desapontados pelo fato de que o mestre aceitar tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram: 'Como o senhor pode suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?'

'Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?' - perguntou o Samurai. 'A quem tentou entregá-lo' - respondeu um dos discípulos. 'O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos' - disse o mestre. 'Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo. A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir...'

Conto Zen.

3 de novembro de 2011

Massagens a um preço relaxante


Já  experimentou o alívio provocado por uma massagem bem aplicada nesses músculos enrijecidos, que aos poucos vai relaxando o corpo,descontraindo a mente e tornando o mundo mais leve?
Poderá usufruir das nossas massagens a um preço relaxante!...







Os pacotes de 4 massagens incluem uma extra para oferecer a quem desejar !
Condições: A duração é meramente indicativa. As massagens do pacote não podem ser cedidas parcialmente. Promoção não acumulável com outros descontos em vigor.
Em vigor até 30  Novembro 2011


sakura.centroterapias@gmail.com - 917433609

2 de novembro de 2011

Reflexologia : Conheça-se através dos pés


A Reflexologia trata-se da arte de curar através do toque nos pés, seguindo o princípio de que todos os órgãos do corpo, inclusive o cérebro, estão conectados através de canais de energia activados em pontos ou áreas do nosso pé

O principal objetivo é promover a homeostase ou seja o equilíbrio natural do corpo. A reflexoterapia é uma das técnicas mais eficazes para proporcionar esse equilíbrio, pois atua diretamente no sistema nervoso central, reduzindo a tensão física e mental, promovendo o estado de relaxamento.

A reflexologia baseia-se no principio de que existem áreas, ou pontos reflexos nos pés e nas mãos que correspondem a cada órgão, glândula e estrutura no corpo.
Ao trabalhar nesses pontos reflexos, reduzimos a tensão em todo o corpo.
A pressão é aplicada nas áreas reflexas com os dedos das mãos ou usando técnicas específicas, provocando mudanças fisiológicas no corpo, na medida em que o próprio potencial de cura do organismo é estimulado. Dessa maneira, os pés podem desempenhar um papel importante para conquistar e manter uma saúde melhor.

O nosso sistema nervoso possui uma rede de fibras nervosas que interligam o Cérebro a praticamente todas as partes do corpo. Estas interagem ao cérebro funções vegetativas, equilíbrio motor e as mais diversas sensações.
Nos nossos pés há milhares de terminações nervosas livres que sensibilizam as vias que farão ligação  na medula até o cérebro, sede do sistema nervoso central. 
Estas terminações nervosas livres modificam os estímulos de pressão ou tacto em impulsos elétricos e estes através das vias aferentes de sensibilidade chegam ao cérebro. 

A reflexologia, permite a recuperação gradual do bem-estar, activando o mecanismo de cura que existe no interior de cada um de nós.

Benefícios desta técnica:

- Relaxa o corpo, a mente e o espírito;
- Normaliza as funções corporais;
- Melhora a circulação sanguínea;
- Melhora a comunicação nervosa;
- Aumenta as capacidades do sistema imunitário;
- Alivia a dor;
- Trata a pessoa no seu todo.


Como é aplicada?

De modo muito simples: o terapeuta aplica, com suas próprias mãos (sem a utilização de qualquer instrumento) a massagem terapêutica em seus pés.



Consultas por marcação- Drª Cláudia Carvalho


31 de outubro de 2011


ESPELHO


Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os factores que destroem os seres humanos. Ele respondeu:

A Política, sem princípios;
O Prazer, sem compromisso;
A Riqueza, sem trabalho;
A Sabedoria, sem caráter;
Os negócios, sem moral;
A Ciência, sem humanidade;
A Oração, sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis, se eu sou amável,

Que as pessoas são tristes, se estou triste,
Que todos me querem, se eu os quero,
Que todos são ruins, se eu os odeio,
Que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio,
Que há faces amargas, se eu sou amargo,
Que o mundo está feliz, se eu estou feliz,
Que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,
Que as pessoas são gratas, se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta.

A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.

20 de outubro de 2011

O que realmente dá sentido á nossa Vida- 5 Novembro


O que realmente dá sentido á nossa Vida

Qual é o sentido da vida? Como posso encontrar propósito, realização e satisfação na vida?
 Terei o potencial de realizar algo de significância duradoura? 
Há tantas pessoas que jamais pararam para pensar no sentido da vida. Anos mais tarde elas olham para trás e se perguntam porque seus relacionamentos não deram certo e porque se sentem tão vazias, mesmo tendo alcançado algum objetivo anteriormente estabelecido. 
Um jogador de baseball que alcançou o hall da fama foi questionado sobre o que gostaria que lhe tivessem dito quando começou a jogar baseball. Ele respondeu: “Eu gostaria que alguém me tivesse dito que quando chegamos ao topo, não há nada lá.”
 Muitos objectivos revelam o quanto são vazios apenas depois que vários anos foram perdidos em sua busca.


Análise da importância da nossa vida, o que temos e o que somos. 
O que fizemos, o que fazemos e o que fica 







Local: Sakura Centro Terapias - Porto
Data/Horário : 5 Novembro 2011 - 15h-17h30

Contribuição: 15€


Inscrições{Informações: sakura.centroterapias@gmail.com  -   917433609 


Naikan, a palavra japonesa que significa « olhar para dentro », consiste num método de auto-reflexão estruturado, que nos auxilia a reflectir sobre a vida, a compreender as nossas relações com aqueles que assumem um papel determinante nela e a natureza fundamental da existência humana.